25 de abril de 2015

Para quem já votou, um enorme "obrigado",

 - atenção: este é o 2.º concurso - é uma nova votação internacional - verifica -

Para quem ainda não votou: 
Dá o teu voto a Portugal. Ajuda a Divulgar pelos amigos.
Clica na FOTOGRAFIA abaixo e depois "Gosto" ou "Like"
A votação termina a 1 de Maio de 2015
 Canstruction Internacional - Escultura de Portugal

7 de abril de 2015

Finalmente representamos Portugal na Canstruction .... Vota bem :-)  Aqui




video

5 de novembro de 2014

Paralelismo entre Planos + Distância a plano


  1. O Plano a contém os pontos A(7;2;4), B(4;6;2) e C(2;4;7)
  1. Represente pelos seus traços nos planos de projeção, um plano b que contém o ponto M(-6;2;3) e é paralelo ao plano a
     
  2. Determine a verdadeira grandeza da distância entre os planos a e b anteriormente representados.

Triângulo num Plano não projetante + Perpendicularidade

Adaptado do Exame de 2011 - 1ª fase (Código 708)   item 3
Oriente a folha A4 em posição “retrato” 
  1. Represente pelas suas projeções um triângulo Equilátero [ABC], situado no plano oblíquo a,
     
    O plano a é perpendicular ao plano bissetor dos diedros impares b13 ,  contém o ponto A(1;3;0) e o seu traço frontal faz um ângulo de 40º ad com o eixo do x.
     
     
    O centro do triângulo equilátero situa-se na reta p que contém o ponto P(3;10;9) e é perpendicular ao plano a.
     
Nota: Se não conseguir encontrar o centro do triângulo, utilize um ponto “O” com 2,5 de afastamento e 3,5 de cota

Paralelismo Reta / Plano - Elementar


  1. Represente a reta r que contém o ponto R(4;3;5) e é paralela ao plano de rampa a
     
    O plano a contém o ponto A(-6;4;2) e o seu traço frontal tem 8 de cota.
     
    A projeção horizontal da reta r faz um ângulo de 55º ad com o eixo das abcissas.

No fim de semana será publicada a resolução.

18 de julho de 2014

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 2.ª fase - Q1

Geometria Descritiva A 708 | Prova  - Critérios de classificação
Este item é muito elementar: Colocamos uma reta "a" pertencente ao plano alfa (contém dois pontos do plano) que é concorrente com a reta "g" (é concorrente com a reta "g" porque as projeções frontais são coincidentes).
No ponto de concorrência das duas retas encontra-se o ponto de intersecção procurado, ou seja o ponto que pertence à reta "g" e que pertence ao plano alfa (porque se situa na reta "a" que é uma reta desse pano).

Nos critérios de classificação falam de um traço horizontal da reta "f" (não sabemos para que serve) e de um plano projetante que contém a reta "g" (também não sabemos para que serve e muito menos porque é que deve ele ser projetante ... e se o é, então ou é frontal ou horizontal).

É triste continuarmos a complicar o que é simples ... e a obedecer aos "raciocínios"  ou "dogmas" da "geometria ao quilo" que existe nos manuais da disciplina, pretendendo que todo o tipo de problema se resolva por um mesmo processo, mesmo que pouco expedito (e portanto pouco inteligente).

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 2.ª fase - Q2

Geometria Descritiva A 708 | Prova  - Critérios de classificação

Quando rodamos uma reta em torno de um eixo perpendicular a um plano, o ângulo dessa reta com esse plano não se altera. (imagem espacial semelhante é o ângulo das geratrizes de um cone de revolução com o plano da sua base). Foi exatamente o que foi feito aqui, identificou-se um eixo de rotação perpendicular ao plano e rodou-se a reta "r" para a sua posição frontal (paralela ao plano frontal) conseguindo assim conhecer o ângulo na sua verdadeira grandeza.

Nos critérios falam da perpendicular (obvio, não há outra forma de encontrar um ângulo sem a reta ou o plano perpendicular) mas depois fala da determinação de um eixo (será que estão a falar da reta perpendicular já representada?) e depois falam de uns tantos rebatimentos e outras complicações incluindo uma reta perpendicular ... mas ... olhem bem, o nosso plano não mudou de local, foi a reta que rodou ...

Novamente os critérios de classificação falam da forma de uma metodologia decorada dos manuais, não sabemos se pretendem confundir os mais expeditos e inteligentes ou apenas assumir que a criatividade não é para aqui chamada, ou ainda que, quem concebeu estes critérios é a mesma pessoa que desde há 3 ou 4 ou muitos mais anos só aprendeu, que uma cavaleira não é uma perspetiva, continuando a repetir manobras intelectuais sem nada que se aproveite e "mandando" aos classificadores criar os referenciais de classificação mais inteligentes para esta prova. (o que não vai acontecer)

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 2.ª fase - Q3

Geometria Descritiva A 708 | Prova  - Critérios de classificação
Como parece faltar a criatividade, voltamos a uma secção que inclui arestas de perfil. Como a pirâmide é regular podemos sempre determinar a intersecção equivalente em qualquer aresta já que o ponto de intersecção tem exatamente a mesma distância ao vértice ou à base :-).

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 2.ª fase - Q4

Geometria Descritiva A 708 | Prova  - Critérios de classificação
Nem vamos referir o processo tão elementar da construção deste sólido,
Não foi necessário determinar a direção de afinidade (cotada nos critérios da 1.ª fase) nem é nunca necessário determinar essa direção desde que se encontrem processos alternativos.

Novamente, como desde há uns anos para cá, os critérios referem "construções necessárias para ... " . No caso das axonometrias clinogonais, como esta, pensamos que se referem ao processo de determinação dos Afastamentos (já que "y" não está em VG) dos pontos iniciais. Os restantes pontos não necessitam de qualquer construção (necessária) já que podem ser determinados por direções, dimensões ou proporções (incluindo alguns afastamentos). Assim, entendemos que todos os parâmetros relativos a "construções necessárias" devem ser corretamente cotados sempre que os respetivos afastamentos sejam determinados.

27 de junho de 2014

Enunciado da Prova 2014 e Critérios de Classificação (com tabela)


Enunciado do exame de Geometria Descritiva

Critérios de Classificação

Grelha para avaliares a tua prova (a tabela será melhorada)

Notas sobre a Prova (em construção)

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 1.ª fase - Q1

Geometria Descritiva A 708 | Prova - Critérios de classificação
Como os Dados foram simpáticos aproveitamos de determinamos de imediato as direções notáveis do plano (ou melhor ... dos planos).
Bastou então representar os traços do plano teta, contendo uma reta "n´" que passa em "P", com a direção horizontal sendo os traços paralelos às direções notáveis do primeiro plano :-)

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 1.ª fase - Q2

Geometria Descritiva A 708 | Prova - Critérios de classificação
Como uma das retas é frontal, serve bem como eixo de rebatimento. Bastou então rebater ou rodar um ponto "A" da segunda reta para conseguir projetar em VG o ângulo em causa.
Claro que há quem goste que inserir um outro eixo de rotação, deve ser para tornar este exercício um pouco mais complicado, confuso, trabalhoso, difícil e ... enfim :-) seguir as orientações com palas.

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 1.ª fase - Q3

Geometria Descritiva A 708 | Prova - Critérios de classificação
 Onde está o vértice ?

Proposta de Resolução Exame Nacional Geometria Descritiva 2014 - 1.ª fase - Q4

Geometria Descritiva A 708 | Prova - Critérios de classificação

26 de junho de 2014

Exame de Geometria :-)

Olá, eu sou o D. Emílio. Sei que o exame de geometria vai correr bem.
 Coragem, calma e muita concentração, esboçar e raciocinar ajuda. Felicidades

11 de junho de 2014

30 de abril de 2014

Simulação Exame - Item 3

Represente, pelas suas projeções, o sólido “truncado” resultante da secção produzida pelo plano de topo θ (teta) numa esfera, de acordo com os dados abaixo apresentados.

           Ponha em destaque, a traço mais forte, a parte do sólido delimitada  pelo plano secante e pelo plano horizontal de projeção.

Preencha a tracejado a figura da secção.


A esfera tem como centro o ponto C(6;5;4) e é tangente ao plano horizontal de projeção.

O plano de topo θ contém a origem das coordenadas e faz um ângulo de  45ºae (abertura para a esquerda) com o plano horizontal de projeção.


Simulação Exame - Item 2

Determine graficamente a verdadeira grandeza da amplitude do ângulo f formado entre o plano b e o eixo x (eixo coordenado)

O plano b contém a reta "d" como uma das suas retas de maior declive,

A reta “d é definida pelos pontos M(0;3;4) e N(3;6;1)



Simulação Exame - Item 1

Determine as projeções da reta “i” de interseção do plano a com o plano bissetor dos diedros pares b 24

O plano a contém o ponto A(-6;4;6) e é perpendicular à reta r

A reta r contém R(-10;3;5), é passante e a sua projeção horizontal faz 45ºae  (abertura à esquerda) com o eixo x.


Simulação Exame - Item 4

Construa uma representação axonométrica oblíqua (clinogonal) em projeção planométrica (militar), de um sólido situado no 1.º triedro, composto por dois prismas regulares, de acordo com os dados abaixo apresentados.
Destaque a traço forte, no desenho final, o traçado das arestas visíveis do sólido resultante e a traço interrompido as suas arestas invisíveis.
Dados:
Sistema axonométrico:
Projeção Planométrica

O eixo axonométrico
z faz ângulos de 130º e de 140º com os eixos axonométricos x e y, respetivamente;

As projetantes fazem ângulos de 60º com o plano axonométrico.
Nota: A orientação dos eixos deve ser representada em sentido direto (contrário aos ponteiros do relógio) sendo o eixo z orientado positivamente para cima, o eixo x orientado positivamente para a esquerda e o eixo y orientado positivamente para a direita.

Prismas:
– os dois prismas têm uma
aresta em comum definida pelo segmento [AB] cujos extremos são os pontos A(2;6;4) e B(2;0;4)

Prisma quadrangular regular :
– uma das suas bases situa-se no plano coordenado horizontal
xy

Prisma triangular regular :
– uma das suas
bases situa-se no plano coordenado frontal xz e os seus lados medem 9

– a face lateral que contém o segmento [AB] é horizontal